RJ consegue vitória no STF contra 30 horas

Após julgamento do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio, em junho, concedendo liminar a favor da inconstitucionalidade do novo piso salarial da enfermagem com 30 horas de trabalho, o Coren-RJ havia entrado com pedido de suspensão desta liminar, junto ao Supremo Tribunal Federal (STF), alegando sérios riscos à segurança e à saúde dos trabalhadores, entre outros argumentos.

No fim de julho, o ministro Dias Toffoli, em decisão monocrática, negou a liminar, alegando, entre outros fatores, que a competência normativa de estabelecer jornadas é “exclusiva da União”. Toffoli se valeu da jurisprudência do Tribunal para exemplificar tal posicionamento. Ainda comentou que “as ameaças de dano elencadas na inicial não se mostram claras e robustas o suficiente”. Considerou ainda que a imediata execução da norma em questão de fato pode levar a um possível aumento de remuneração, instabilizado as relações de trabalho.

Para o presidente do SINDHRio, Fernando Boigues, esta é uma vitória da saúde do Rio de Janeiro. “Já vivemos momentos difíceis e não teríamos como absorver tamanho impacto. Os aumentos salariais ultrapassariam os 50% na remuneração da categoria dos enfermeiros, o que comprometeria a sustentabilidade dos hospitais e a manutenção dos empregos”, afirma.

Entenda

A emenda que determinou o aumento e a jornada de 30 horas é da deputada Enfermeira Rejane, e estabelecia que o piso dos enfermeiros no estado seria de R$ 3.044,78 por 30 horas semanais de trabalho. Muitas empresas já pagavam esse valor, mas por 44 horas semanais. Com a mudança, os serviços de saúde teriam de pagar mais para manter a jornada antiga dos profissionais.

Embora a emenda tenha sido vetada pelo governador Pezão, o texto voltou à Assembleia Legislativa do Estado do Rio de janeiro (Alerj), que derrubou o veto. Foi quando a Associação dos Hospitais do Estado do Rio de Janeiro (AHERJ) entrou com ação, solicitando liminar e alegando que a medida seria inconstitucional, além de causar enorme impacto econômico para os serviços de saúde do Estado.

“A competência normativa de estabelecer jornadas é exclusiva da União. O tema da redução de jornada dos enfermeiros tem sido debatido no Congresso Nacional desde 1999, e motivo de inúmeras críticas, tendo em vista o impacto econômico que imporia ao setor. Utilizar a lei dos pisos estaduais como manobra para mudar a jornada é, no mínimo, antiético”, comentou, à época, o diretor jurídico da Aherj, Guaracy Bastos, que defendeu a ação no Tribunal de Justiça.

1 comentário Adicione o seu

  1. Jose Carlos Barbério disse:

    Desde já, parabéns ao SINDHRio pela luta.

    ________________________________ De: WordPress.com Enviado: segunda-feira, 6 de agosto de 2018 13:00 Para: carlitobarberio@hotmail.com Assunto: [New post] RJ consegue vitória no STF contra 30 horas

    impactodas30horas posted: “Após julgamento do Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Rio, em junho, concedendo liminar a favor da inconstitucionalidade do novo piso salarial da enfermagem com 30 horas de trabalho, o Coren-RJ havia entrado com pedido de suspensão desta liminar, ju”

    Curtir

Deixe uma resposta para Jose Carlos Barbério Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s